Ônibus: Funcionários da Jundiá entram em greve em Alumínio

10:19 |




08/06/2017 12:36:25



AMPLIAR FOTO
Ônibus não estão circulando em Alumínio desde o fim da madrugada desta quinta-feira,08.


Os ônibus da empresa Jundiá, responsável pelo transporte coletivo municipal e escolar em Alumínio, estão parados informou o Sindicato dos Rodoviários de Sorocaba e Região que explicou que os funcionários entraram em greve na manhã desta quinta-feira, 08.

De acordo com o Sindicato, o movimento é por falta de pagamento de salário, que deveria ter sido acertado pela empresa Jundiá no último dia 05.

A paralisação é por tempo indeterminado, até que a empresa efetue o pagamento do salário aos trabalhadores.

O Sindicato dos Rodoviários de Sorocaba e Região, que representa os trabalhadores, informa ainda que manteve em circulação os dois ônibus que fazem o transporte para a APAE (Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais).

No transporte urbano e escolar de Alumínio trabalham 30 motoristas e oito monitores escolares, todos aderiram à greve.

O Sindicato dos Rodoviários de Sorocaba e Região também esclarece que o transporte urbano de Mairinque, que também é feito pela Jundiá, está normal, pois, os funcionários que trabalham em Mairinque receberam o salário.

O fretamento para a empresa CBA também está normal pois não houve atraso em pagamento de salário.

Prefeitura não teria repassado recurso para a empresa Jundiá, assim como ocorreu em outubro do ano passado

Em outubro do ano passado os funcionários da empresa Jundiá em Alumínio e Mairinque entraram em greve por atraso de salário.

Na época , segundo o Sindicato, a empresa Jundiá informou que não taaianha mais dinheiro em caixa para pagar os trabalhadores. Informava que a arrecadação caiu e a crise ajudou na falta do recurso financeiro.

O Sindicato informou, conforme a empresa, o problema também estava relacionado as duas prefeituras que não estavam repassando os subsídios previstos em contrato para a prestação de serviço do transporte coletivo na cidade.

A empresa, sem esse recurso, não consegue pagar os funcionários.

Sem receber, segundo o Sindicato, os trabalhadores revolveram entrar em greve.

A empresa Jundiá, alega que sempre pagou corretamente, porém, já algum tempo, vem sofrendo dificuldade de arrecadação e o problema ficou maior sem o subsídio das duas prefeituras, Mairinque e Alumínio.

O Sindicato informou que o repasse não era feito há um bom tempo.

Afirma que a empresa vinha arcando com o pagamento dos trabalhadores com os lucros, porém, de acordo com o Sindicato, a empresa teve queda na arrecadação, e sem um valor de repasse da prefeitura, não conseguiria manter o salário dos funcionários.

Após uma reunião na época as prefeituras conseguiram resolver parte dos problemas e os ônibus voltaram a circular.
Milhões

Na época segundo o Sindicato, a prefeitura de Mairinque estaria devendo em repasse para a empresa o valor de R$ 2 milhões 299 mil 636 reais e 76 centavos.

Já a prefeitura de Alumínio R$ 1 milhão e 933 mil, 916 reais e 28 centavos, informou o Sindicato.

O Sindicato também afirma que já havia avisado sobre o problema em reuniões anteriores.
.

Fonte: da Redação

São Roque Notíias

0 comentários:

Postar um comentário