Morador de Itapevi estrangula vitima e irmã grava vídeo.

16:44 |





A justiça decretou a prisão temporária do homem que aparece esganando um rapaz em Itapevi, na Grande São Paulo, num vídeo que circula no WhatsApp. Lucas Matheus Batista Santos, de 20 anos, ficará 30 dias preso na cadeia de Cotia, pelo assassinato da vítima, ainda não identificada, e ocultação do corpo, que foi encontrado num córrego.
O caso ocorreu no dia 16/03, mas só foi descoberto um dia depois, após a Polícia Militar (PM) receber a filmagem do crime pelo aplicativo de celular. As imagens foram gravadas pela irmã do assassino, que tem 15 anos.
Elas mostram Lucas apertando o pescoço do jovem com as duas mãos até ele perder os sentidos e morrer. As cenas não mostraram, mas em seguida ele amarrou uma corda no pescoço da vítima e a jogou num riacho.
A Polícia Civil investiga se a adolescente participou do homicídio ou se foi obrigada a filmar ou ainda se quis gravar o irmão para denunciá-lo. A mãe dela e de Lucas também é investigada pelos mesmos motivos.
Policiais militares prenderam Lucas na casa dele, na Rua Pedro Valadares, no bairro Vitápolis. Em outro vídeo, esse feito pelos agentes, ele confessou o crime. Nele, o desempregado alega que matou o jovem para dar a alma dele ao demônio.
Tocador de vídeo
00:00
01:22

Satanismo ou vingança

A vítima seria conhecida do agressor e teria a mesma idade dele. Outra hipótese investigada pela Delegacia de Itapevi para explicar o crime, além da do ritual de satanismo, é de que ele tenha sido cometido por vingança: o rapaz teria mexido com uma mulher que reclamou disso com Lucas, que, por sua vez, decidiu matar o jovem.
Segundo o delegado Marcos Antonio Manfrin, da Delegacia de Itapevi, que investiga o caso, Lucas foi indiciado por homicídio doloso triplamente qualificado (por motivo torpe, meio cruel e recurso que dificultou a defesa da vítima) e ocultação de cadáver.
O delegado pretende pedir a prisão preventiva quando concluir a investigação. “Estamos apurando se Lucas cometeu outros assassinatos na região”, disse Manfrin.
A irmã e a mãe do assassino serão chamadas para prestar depoimentos na delegacia. “Queremos saber se elas tiveram participação no crime ou se decidiram gravá-lo para denunciá-lo”, disse o delegado.
O relato de Lucas sobre como ele matou o rapaz impressiona pela frieza, segundo Manfrin.

Corpo no rio

Num dos trechos do vídeo da confissão dada aos policiais, o preso conta em detalhes o que fez. “Eu cheguei e comecei a discutir com ele. Bati bastante na cabeça dele, depois enforquei [esganei]. Ai ele ficou se agonizando”, afirma. “Ai eu parei. Ai depois eu vi que ele ia levantar, eu pisei no gogó dele. Fiquei pisando várias vezes. Ai pisei na cabeça dele.”
Depois, Lucas fala que amarrou uma pedra na vítima, e a jogou num riacho perto do local do crime. “Ele parou de respirar. Aí eu amarrei uma pedra nas costas dele. Amarrei um lençol e joguei ele no rio, mas só que ele não foi”, diz. “Aí eu pulei dentro do rio e empurrei ele, como se fosse uma canoa. Joguei, ele foi devagarzinho, e eu entreguei pros exus a alma dele.”
Só um laudo poderá apontar a causa da morte do rapaz, mas, em princípio, a principal hipótese é mesmo de esganadura.
“O assassino foi preso. Ele confessou que matou o rapaz após uma discussão e o corpo foi achado”, disse o delegado Manfrin. “Ele esganou a vítima, que morreu asfixiada.”
Lucas está desempregado e ainda teria passagens por furto e roubo, segundo policiais.
Fonte: G1 Noticias.

0 comentários:

Postar um comentário