1° DIA DO GINGA VGP FOI UM SUCESSO:

10:06 |





Ontem a noite no Parque do agreste teve início no 2° Encontro doa Capoeirista de Vargem Grande Paulista, e teve como atração principal a Vivência de Samba de Roda Com o Mestre Flavio Sargento Alabê Oliveira aonde os alunos se divertindo muito e aprenderam a sambar. O evento que tem como objetivo dar oportunidade para os alunos vivenciar diversas aulas de Capoeira. Gostaríamos de agradecer a todos envolvidos neste projeto que envolve 05 Grupos da cidade: Cordão de Ouro, Amigos da Capoeira, Roda Viva, Novo Horizonte e Angoleiros do Sertão. Também não poderíamos deixar de agradecer ao Prefeito Josué Ramos , o Secretário de Educação, Cultura, Esporte e Turismo Reinaldo de Oliveira e o Diretor de Esportes José Roberto Gabriel e o Coordenador de Esportes Aquiles Santana que estiveram presentes no evento , pelo apoio dado para os capoeiristas da cidade.
Em especial agradecemos a todos alunos , e pais que acreditam Nosso trabalho.
O evento tem a continuidade na Sexta-Feira no Ginásio de Esportes do Tijuco Preto.

Leias Mais..

Atual campeão, Guarany estreia com dificuldade no Torneio Cruzeirão

09:47 |

Publicado em 29 de Março de 2017 | 14:49
Escrito por Eduardo Gouvea






Adversário vendeu caro a derrota para o Guarany | Crédito: Agência Foto 10

O Guarany FS/CJA Sports/Boteco do Arnesto teve bem mais trabalho do que esperava em sua estreia do 58º Torneio Cruzeirão de Futsal. Em partida realizada no Ginásio do Éden, em Sorocaba, o Bugre venceu o Coxinhas Premium/Cal Motos/Drog SIG pelo placar de 2 a 1, com o gol da classificação sendo anotado apenas nos minutos finais. Agora, a equipe verde pegará seu coirmão Guarany FS / Bola Bar na busca por uma vaga na quarta fase.

Ainda no Éden, em outro jogo válido pela categoria principal, a Associação Chape de Futsal venceu nos pênaltis o Futsal Projeto Restitui de Indaiatuba, após empate em 1 a 1 no tempo normal, e brigará por um lugar nas oitavas de final contra o classificado da partida entre Sport Golaço de Votorantim e Santa Bárbara.

Já a categoria veterano teve um divertido jogo, onde o Tiepo Center Peças venceu o Amigos Futsal por 6 a 4 e agora pegará na segunda fase o Uppertool / Atlético Brasil / Terceiro tempo.

No Gualberto

A rodada no Ginásio Gualberto Moreira começou com um WO provocado pela equipe do União Jardim Zulmira / Silvano / Assis Contábil. Melhorpra o Construalpes Casa Branca Futsal, que sem sujar o uniforme avançou para a segunda fase, onde pegará o vencedor da partida entre AA Ferroviária Vila Progresso e Katados.

Por outro lado, o local foi onde se registrou a partida com o maior número de gols até o momento. Em noite inspirada a PM Piedade/ Rometani Engenharia/Banca do Zezinho bateu o Unidos do RU de Araçoiaba da Serra pelo placar de 12 a 5. Na próxima fase o time pegará a AA Nove de Julho.

Também no GME, em outro jogo da categoria principal, a equipe do Bas Futsal Furusato Delivery/Brumas Telhas fez 2 a 0 em cima do Zueira Sem Limites/Buda Futsal e espera o vencedor do jogo desta quarta, entre Guimarães Engenharia / FACENS e Boca Badella Futsal.
Leias Mais..

Dia mundial do Autismo terá programação no Amapá

09:39 |

0/3/2017 | 0:42



O Centro conta hoje com 364 alunos, sendo que 189 são autistas, destes 39 são meninas e 150 meninos. A incidência de autismo é maior em meninos, por isso a cor que simboliza é o azul.



MANAUS/AM - 01/04/2014 MATÉRIA ESPECIAL SOBRE A SEMANA DO AUTISMO. FOTO: KARLA VIEIRA/ SEMCOM.
O Centro Educacional Raimundo Nonato Dias Rodrigues realiza no período de 30 de março a 03 de abril uma programação alusiva ao Dia Mundial da Conscientização do Autismo, comemorado em 02 de abril. O evento contará com mesas de debates, palestras, atividades recreativas e o acender das luzes, um momento especial da programação, em que a frente do prédio será iluminada de azul, cor que simboliza o autismo.
O Centro conta hoje com 364 alunos, sendo que 189 são autistas, destes 39 são meninas e 150 meninos. A incidência de autismo é maior em meninos, por isso a cor que simboliza é o azul.
“Pensando nesta conscientização das pessoas, vamos ter um momento especial em nossa programação, que é o acender das luzes azuis. Vamos iluminar a fachada do Centro de azul, no dia 31, chamando atenção das pessoas para o autismo”, explicou a diretora, Nilzete Mendes.
No dia 30, uma mesa de debate vai discutir sobre o atendimento ao aluno autista no sistema de ensino. Na sexta-feira, 31, a programação especial para os alunos, e o acender das luzes azuis. No sábado, 1, arrecadação de brinquedos educativos, e na segunda-feira, 3, palestras para os pais.
O Dia Mundial de Conscientização do Autismo tem o intuito de alertar a sociedade e os governantes sobre esta doença, ajudando a derrubar preconceitos e esclarecer sobre o que é o autismo.
Leias Mais..

O valor da boa educação

09:31 |






Anarruth Corrêa
Orientadora pedagógica da ABA Global School
Publicação: 30/03/2017 03:00
Não há povo desenvolvido e civilizado sem que tenha passado por um longo e planejado processo educacional. Isso é inquestionável. Basta dar uma rápida olhada nos países considerados hoje como de primeiro mundo e se constata facilmente que eles, em algum momento da própria história, romperam com o imobilismo e levaram a sério os projetos de educação de sua população.

São muitos os exemplos. Até nações que, algumas décadas atrás, tinham padrão de desenvolvimento igual ao do Brasil, ou um pouco mais atrasado, superaram as suas dificuldades sociais e econômicas, por uma razão simples: investiram forte e incansavelmente em educação.  O Japão e a Coreia do Sul, países arrasados por guerras e que tinham sociedades baseadas em valores tradicionais, são emblemáticos de como a educação os ajudou a avançar, sob todos os aspectos.

Numa conjuntura de um país ainda deficitária em termos educacionais, a função do educador é fundamental para que se eleve o nível de aprendizado e conhecimento. Dessa forma, o educador assume um papel que transcende a sua própria missão primordial, que é a de ensinar. Ele passa a ser importante protagonista no processo de superação dos sofríveis padrões pedagógicos do país. Nas nações que suplantaram os seus históricos déficits educacionais, com resultados surpreendentes e rápidos, os professores foram reconhecidos (e ainda o são) como profissionais imprescindíveis para que os objetivos fossem alcançados.

A grande e irresolvida questão é fazer com que a sociedade brasileira se conscientize que a boa Educação é o caminho sustentável para a superação dos problemas sociais e econômicos. A escola deve ser a encorajadora dessa aspiração. Deve procurar avançar, ir além, ser a linha de frente de uma nova e transformadora mentalidade. Apresentar ideias inovadoras. Apenas para citar um exemplo: o estímulo ao empreendedorismo. Em países em que a promoção das iniciativas individuais é uma recorrência cultural, nota-se que a sociedade tem uma dinâmica própria, ambiciosa, progressista. Não se fica à espera da tomada de posições oficiais ou de soluções mágicas. Este deve ser o perfil da escola contemporânea: ativa, propositiva.

Cabe ainda à escola suscitar nos alunos, professores, funcionários e nas famílias, os valores que norteiam a boa educação. Valores que induzam à convivência civilizada, respeitosa e fraterna. A escola deve ser a formadora de bons cidadãos e cidadãs, conscientes de seus deveres e direitos. Afinal, as crianças e os jovens de hoje estarão amanhã no comando das empresas, corporações e dos destinos do país. A escola é isto: a sociedade do presente e do futuro, a um só tempo, num mesmo espaço.
Leias Mais..

Educadores se dividem sobre neutralidade do projeto Escola sem Partido

09:28 |




29/03/2017 - 12h35



Confederação de escolas privadas defende conteúdos mais científicos no ensino, enquanto representante de escolas cristãs critica “supressão de ideias divergentes”
Durante audiência pública realizada nesta terça-feira (28) pela comissão especial que discute o projeto que institui a Escola sem Partido (PL 7180/14), o jornalista e escritor Leandro Narloch defendeu a “neutralidade da escola em questões ideológicas e partidárias”. Ele acredita que a proposta em debate na Câmara pode ser um mecanismo para proteger os alunos de ideologias dos professores e, assim, garantir a tolerância e o pluralismo de ideias na própria escola.
Alex Ferreira/Câmara dos Deputados
Reunião Ordinária
Os deputados irão debater o projeto nos estados
A questão da neutralidade em temas como política e crença religiosa também foi apoiada pelo representante da Confederação Nacional dos Estabelecimentos de Ensino, João Luiz Cesarino da Rosa. Para Cesarino, à exceção das escolas confessionais, que as famílias escolhem justamente pelo ensino religioso, as instituições não podem tratar de temas abstratos.
"A escola tem que tratar de temas absolutos, de temas científicos. Eu posso estar aqui, ou em qualquer lugar do mundo, e a química será a mesma, a biologia será a mesma, a matemática será a mesma. Então são temas que não permitem divagações e não permitem o proselitismo. Ou seja, o empenho do professor que já exerce uma influência natural nos alunos, da sua crença pessoal, da sua ideologia, da sua política", afirmou Cesarino.
Pluralidade
Já a secretária-geral do Conselho Nacional de Igrejas Cristãs do Brasil, pastora Romi Benke, criticou o projeto. Em sua opinião, o objetivo da proposta não é garantir neutralidade nas salas de aula, mas suprimir ideias divergentes e o debate sobre questões sociais e de gênero.
Também a coordenadora adjunta da ONG Ação Educativa, Denise Carreira, acredita que o projeto quer cercear o princípio da pluralidade nas escolas. Denise critica o movimento Escola sem Partido, que, segundo ela, está incentivando a notificação extrajudicial de professores que abordam temas que não agradam os defensores da proposta. "Essas notificações foram usadas muitas vezes no que se refere à questão de gênero, ou seja, para interditar, para censurar, para reprimir o debate sobre gênero, sexualidade e raça, e outros temas que abordam as desigualdades estruturais do Brasil, entre elas a concentração de renda", disse.
O relator do projeto, deputado Flavinho (PSB-SP), afirmou que existe uma convergência em torno do texto do projeto, apesar dos pontos de vista diversos. “Apesar de aqueles que são contrários e favoráveis tentarem mostrar de forma ideológica essa defesa, existe muita convergência. Quando a gente sai do texto, aí é onde o debate então entra na subjetividade das ideologias e é onde vejo que não contribui muito para o que precisamos nesta comissão”, observou.
O deputado Flavinho informou ainda que estão previstas audiências em vários estados para debater o tema. A comissão já aprovou requerimento (nº 24/17), de autoria do deputado Mauro Pereira (PMDB-RS), que prevê a realização de seminário em Porto Alegre.
Reportagem - Mônica Thaty
Edição - Roberto Seabra
Leias Mais..

Educação realiza paralisação na sexta-feira contra reformas

09:23 |




Por: Redação - 30/03/2017 06h27



Trabalhadores da educação param na sexta-feira (divulgação)


Trabalhadores da educação param na sexta-feira (divulgação)
Em assembleia no Sindicato dos Trabalhadores da Educação (Simted), na manhã desta quarta-feira (29), profissionais da Educação de Dourados decidiram pela paralisação nesta sexta-feira (31).
Centrais sindicais de todo o país irão se mobilizar, em mais um dia de luta, contra as reformas do governo ilegítimo de Michel Temer.
Os educadores realizam manifestações em Dourados contra a Terceirização e as Reformas Trabalhista, da Previdência e do Ensino Médio.
O ato em Dourados será organizado juntamente com outros sindicatos e entidades sociais. Nesta semana, a Igreja Católica se manifestou contra a Reforma da Previdência.
A concentração acontece às 08h, de amanhã, em frente a Igreja São João Batista, na Rua Bela Vista com a W7, no Jardim Água Boa.
Toda a população está convidada a se juntar à luta contra a retirada de direitos.
Leias Mais..

Câmara aprova exigência de protocolo do SUS para avaliação psíquica de crianças

09:21 |




29/03/2017 - 19h49Atualizado em 29/03/2017 - 19h57



Proposta poderá facilitar o diagnóstico e o tratamento de crianças com transtorno do espectro autista
O Plenário da Câmara dos Deputados aprovou nesta quarta-feira (29) o Projeto de Lei 5501/13, do Senado, que muda o Estatuto da Criança e do Adolescente (Lei 8.069/90) para obrigar o Sistema Único de Saúde (SUS) a adotar protocolo com padrões para a avaliação de riscos ao desenvolvimento psíquico das crianças. A matéria será enviada à sanção.
Segundo o texto, os procedimentos de análise médica deverão ser aplicados nos primeiros 18 meses de vida da criança com a finalidade de facilitar a detecção de risco para o seu desenvolvimento psíquico. Os procedimentos serão feitos em consulta pediátrica de acompanhamento. A proposta entrará em vigor 180 dias após sua publicação.
O projeto contou com parecer favorável do deputado Delegado Francischini (SD-PR), pela Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania (CCJ). Para ele, a aprovação da medida mostra que houve uma convergência de todos os partidos em torno de um tema com resultados positivos para a sociedade.
“Com a aplicação desse protocolo, os profissionais de saúde poderão orientar os pais no primeiro momento da vida de uma criança com autismo”, afirmou, lembrando que há, no Brasil, mais de 2 milhões de crianças, jovens e adolescentes identificados como dentro do espectro autista.
A deputada Erika Kokay (PT-DF) também defendeu a proposta. “É fundamental que todas as políticas públicas possam abarcar e permitir o crescimento das pessoas com transtorno do espectro autista”, afirmou.
Para a deputada Maria do Rosário (PT-RS), o projeto vai facilitar o diagnóstico e tratamento. “A proposta prevê a obrigatoriedade de um protocolo para facilitar a detecção”, afirmou. Ela disse ainda que a medida pode diminuir o preconceito.
Diagnóstico
O deputado Ságuas Moraes (PT-MT) afirmou que são cerca de 150 mil casos novos de transtorno do espectro autista por ano, mas ainda há dificuldades no diagnóstico. “Temos mais de mil doenças raras no mundo e temos poucos protocolos recomendados pelo Ministério da Saúde. E, nesses casos, há muita dificuldade de diagnóstico”, afirmou. “O diagnóstico precoce e o tratamento adequado vão melhorar significativamente a vida dos autistas e de suas famílias”, emendou.
Na avaliação do deputado Eduardo Barbosa (PSDB-MG), a proposta é relevante e vai contribuir com as comemorações do Dia Mundial da Conscientização do Autismo, em 2 de abril. “É preciso investir no diagnóstico precoce para que a criança receba tratamento multidisciplinar necessário ao seu desenvolvimento, para que possa almejar a inserção em uma escola comum, ter trabalho e uma vida plena”, afirmou.
O deputado Otavio Leite (PSDB-RJ) afirmou que o protocolo a ser utilizado precisa ser rigoroso para permitir o tratamento adequado das crianças. “É indispensável que a qualificação para o atendimento dos brasileiros seja algo concreto”, defendeu.

ÍNTEGRA DA PROPOSTA:

Reportagem – Eduardo Piovesan e Carol Siqueira
Edição – Pierre Triboli

A reprodução das notícias é autorizada desde que contenha a assinatura 'Agência Câmara Notícias'
Leias Mais..

MEC repassa a partir de hoje parcela do Fundeb a estados e municípios

09:20 |







  • 29/03/2017 12h07
  • Brasília
Da Agência Brasil
O Ministério da Educação (MEC) distribui a partir de hoje (29), R$ 918,97 milhões referentes à parcela de março da complementação ao Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb).
De acordo com a pasta, desse total, R$ 91,89 milhões serão usados para completar o piso dos professores.
Neste ano, o piso nacional foi reajustado em 7,64% em relação a 2016. Hoje o piso nacional do magistério é R$ 2.298,80, para os que cumprem carga horária mínima de 40 horas semanais e que tenham formação em nível médio (modalidade curso normal).
Segundo o MEC, o dinheiro, repassado pelo Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE), estará nas contas correntes dos estados e municípios beneficiários.
Fundeb
O Fundeb é a principal fonte de financiamento da educação básica pública no país, formado por percentuais de diversos tributos e transferências constitucionais. São exemplos, os impostos sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) e sobre a Propriedade de Veículos Automotores (IPVA).
Pela Lei 11.494/2007, que regulamenta o fundo, a União deve repassar a complementação aos entes federados que não alcançam com a própria arrecadação o valor mínimo nacional por aluno, estabelecido anualmente. Atualmente, ele é R$ 2.875,03. Entre os estados, são nove os atendidos: Alagoas, Amazonas, Bahia, Ceará, Maranhão, Pará, Paraíba, Pernambuco e Piauí.
Edição: Valéria Aguiar
Leias Mais..

Apenas 25% das crianças com menos de 4 anos frequentam creche ou escola

09:14 |






  • 29/03/2017 10h16
  • Rio de Janeiro
Ana Cristina Campos – Repórter da Agência Brasil
creche
Entre as famílias que ficam com as crianças em casa, 45,2% teria interesse em matriculá-las em uma creche ou escolaAntonio Cruz/Arquivo Agência Brasil
Em 2015, das 10,3 milhões de crianças brasileiras com menos de 4 anos, 25,6% (2,6 milhões) estavam matriculadas em creche ou escola. Entretanto, 74,4% (7,7 milhões) não frequentavam esse tipo de estabelecimento nem de manhã, nem à tarde.
Desse contingente de 7,7 milhões de crianças que ficavam em casa, 61,8% de seus responsáveis demonstravam interesse em matricular na creche, o que representa 4,7 milhões dos casos. O interesse do responsável em matricular a criança crescia com o aumento da idade, passando de 49,1% em crianças com menos de 1 ano e atingindo 78,6% entre as crianças de 3 anos.
As informações constam do suplemento Aspectos dos cuidados das crianças de menos de 4 anos de idade, da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad) 2015, divulgado hoje (29) no Rio de Janeiro pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).
Segundo a pesquisa, o percentual de crianças de menos de 4 anos cujos responsáveis tinham interesse em matriculá-las em creche ou escola diminuía nas classes de renda média domiciliar per capita mais altas.
“Nas classes sem rendimento a menos de ¼ do salário mínimo, essa proporção era de 61,5%, crescendo até a classe de ½ a menos de 1 salário mínimo (63,9%). A partir da classe de 1 a menos de 2 salários mínimos, verificava-se redução da proporção, com estimativa de 60,1%, chegando a 54,4% na classe de rendimento domiciliar per capita de 3 ou mais salários mínimos”, informa o documento.
Das 4,7 milhões de crianças de menos de 4 anos não matriculadas em creche ou escola, mas cujos responsáveis tinham interesse em fazê-lo, em 43,2% (2,1 milhões) dos casos os responsáveis tomaram alguma ação para conseguir uma vaga. Dentre as medidas adotadas, as mais recorrentes foram o contato com a creche, a prefeitura ou secretaria para informações sobre existência de vagas (58,7%) e a inscrição em fila de espera para vagas (37,3%).
A assistente administrativa Dayse Fernandes Bezerra Arruda, de 39 anos, busca uma vaga em creche municipal para seu filho de 6 meses desde o ano passado para poder voltar a trabalhar. Ela recorreu à Justiça para que a prefeitura do Rio de Janeiro matricule seu filho em uma creche.
“Estou com processo em andamento e até agora nada. Fiz a inscrição em cinco creches em bairros próximos de casa, mas ele não foi sorteado. Eu não tenho com quem deixá-lo. Meu marido trabalha. Uma creche particular é inviável, a mais barata está na faixa de R$ 1,5 mil. Vivemos de aluguel, é complicado pagar uma creche”, disse Dayse.
Plano Nacional de Educação
O Plano Nacional de Educação (PNE), sancionado em 2014, estabelece na sua primeira meta a universalização da educação infantil na pré-escola para crianças de 4 a 5 anos até 2016 e a ampliação da oferta de educação em creches de forma a atender, no mínimo, 50% das crianças de até 3 anos até 2024.
Segundo o IBGE, os dados de 2015 da Pnad mostram que a taxa de frequência de crianças de 4 a 5 anos na pré-escola está em 84,3%. No caso das crianças com menos de 4 anos, apenas 25,6% estavam em creches.
O PNE estabelece metas e estratégias para melhorar a qualidade da educação até 2024. As metas vão desde a educação infantil até a pós-graduação e incluem valorização dos professores e melhorias em infraestrutura.
Perfil das famílias
A Pnad 2015 estimou que os 10,3 milhões de crianças com menos de 4 anos no país correspondem a 5,1% da população brasileira. A presença de crianças desse grupo etário foi registrada em 13,7% dos domicílios.
Segundo a pesquisadora do IBGE Adriana Araújo Beringuy, o aspecto mais distintivo entre os domicílios foi o rendimento domiciliar per capita: a presença de crianças de menos de 4 anos é maior nas classes menos elevadas. “Quase 74% dos domicílios com crianças até 3 anos estavam nas faixas de rendimento domiciliar per capita até um salário mínimo. É perceptível que as crianças desse grupo etário estão em domicílios de renda mais baixa”, disse.
Edição: Lidia Neves
Leias Mais..

De cada 10 crianças, só 3 estão em creches no CE

09:12 |


Pesquisa do IBGE constata que 334 mil crianças cearenses estão fora da educação infantil





Em termos proporcionais, apesar da situação crítica de 2015 revelada pela Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad) , o Ceará tem a 7ª melhor condição de acesso à educação infantil ( Foto: Thiago Gadelha )

00:00 · 30.03.2017 por Thatiany Nascimento - Repórter

De cada 10 crianças com idade entre 0 e 4 anos, somente 3 estão matriculadas em creches ou pré-escolas no Ceará. Esta proporção é constatada na Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad) feita pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) e divulgada ontem. Os dados são de 2015.
Das 463 mil crianças nesta faixa etária no Estado, 334 mil estão fora da educação infantil, o que representa 72,1% do total. A matrícula destes público, segundo a Lei de Diretrizes e Bases da Educação (9.394/96), só é obrigatória a partir dos 4 anos, porém municípios devem ofertar creches e pré-escolas a partir do nascimento.
O percentual de crianças não matriculadas é elevado no Ceará, mas segue o cenário nacional. No Brasil, de acordo com a Pnad, há cerca de 10 milhões de crianças nesta faixa etária e 7,6 milhões (74,3%) estão fora das instituições de educação infantil. Em termos proporcionais, apesar da situação, o Ceará tem a 7ª melhor condição de acesso. São Paulo (61,2%), Santa Catarina (61,5%), Paraná (66,9%), Rio Grande do Sul (67,2%), Mato Grosso do Sul (71,7%) e Rio de Janeiro (72,1%) apresentam menores índices de crianças não matriculadas.
Obrigação
A LDB, uma das normas que rege o acesso à educação no Brasil, estabelece que é dever dos municípios ofertar "creches ou entidades equivalentes para crianças de até 3 anos" e "pré-escolas para as crianças de 4 a 5 anos". A legislação diz que "é dever dos pais ou responsáveis efetuar a matrícula das crianças na educação básica a partir dos 4 anos".
No Ceará, conforme dados da Pnad, os pais e/ou responsáveis de 223 mil crianças fora das salas de aulas (do total de 334 mil) manifestaram vontade de garantir uma vaga. O que representa 66% das famílias. Porém, dentre esses 223 mil, apenas 81 mil tomaram medidas efetivas para tentar assegurar a matrícula nas creches e pré-escolas. Dentre as iniciativas, a pesquisa apontou: o contato com creche, prefeitura ou secretaria para informações sobre existência de vagas, inscrição em fila de espera, contato com parentes, conhecidos ou amigos que poderiam ajudar a conseguir o acesso e ação judicial solicitando uma vaga.
A realidade constatada na Pnad reforça a necessidade de efetivação das metas do Plano Estadual de Educação (Lei 16.025/16), - aprovado em maio de 2016 e em vigor até 2024. A primeira delas trata justamente da educação infantil e estabelece como propósito e responsabilidade do Estado "apoiar os municípios para a ampliação da oferta de Educação Infantil em creches de forma a atender, no mínimo, 50% das crianças de 0 a 3 anos de idade até 2024, onde pelo menos 25% do total seja em tempo integral".
Impacto
Para o psicólogo e mestre em Educação, Marco Aurélio de Patrício, a baixa inserção das crianças em creches é prejudicial pois, dentre outros aspectos, fere a garantia de um direito e impacta no desenvolvimento cognitivo, emocional e social.
O educador reforça ainda que a relevância da garantia do acesso à creche é tão reconhecida que, em geral, todas as famílias de maior poder aquisitivo buscam garantir o ingresso de crianças nos espaços educacionais já no início da vida. "Se a creche e a pré-escola não forem ofertadas, as famílias mais pobres já começam a vida educacional em desvantagem e essa negação da educação causa grandes problemas", enfatiza.
Marco Aurélio também explica que "na falta de orientação das famílias mais pobres, a escolaridade acaba sendo secundarizada". "Muitos não tiveram acesso quando eram crianças, portanto, não entendem a importância dessa matrícula". Ele esclarece que a pré-escola não pode ser confundida com um espaço meramente lúdico e adequado para "deixar os filhos". "Creches e pré-escolas têm brincadeiras, mas também têm o currículo pautado na área motora, sensorial e cognitiva", garante.
Leias Mais..

66,8% das crianças cearenses de até 4 anos não estavam na creche

09:10 |


Os dados são de 2015 e foram divulgados ontem. No Brasil, 84,4% das crianças permaneciam no mesmo local, geralmente a própria residência

01:30 | 30/03/2017



No Brasil, esteve no topo das justificativas (76,7%) para a permanência das crianças no ambiente a segurança do local FABIO LIMA
No Brasil, esteve no topo das justificativas (76,7%) para a permanência das crianças no ambiente a segurança do local FABIO LIMA


Das crianças com menos de quatro anos de idade residentes no Ceará, 66,8% não estavam, em 2015, matriculadas em creches ou escolas, embora seus pais ou responsáveis tivessem interesse em inscrevê-las. Desse percentual, 36,4% dos responsáveis chegaram a buscar de alguma forma o acesso, enquanto que 63,6% não tomaram nenhuma atitude para isso.

Os números locais integram o suplemento Aspectos dos cuidados das crianças de menos de quatro anos de idade da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad) 2015, divulgado ontem, 29, pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), no Rio de Janeiro.

Em todo o País, a amostragem constatou que 84,4% (equivalente a 8,7 milhões) das crianças brasileiras da faixa etária investigada passaram manhãs e tardes no mesmo local — na maioria das vezes (74,5%) na própria residência delas, aos cuidados de, geralmente, pelo menos dois responsáveis. Em contrapartida, somente 16,6% dessas crianças ficaram dias inteiros em creches ou escolas.

Justificativas
No Brasil, esteve no topo das justificativas (76,7%) para a permanência das crianças em determinado ambiente o fato de os responsáveis considerarem ser “local com melhores condições de cuidados, alimentação, afeto e segurança”. O documento explora o resultado: “A prevalência desse motivo, analisada conjuntamente com o fato de que, na maioria dos casos, as crianças de menos de quatro anos de idade permaneciam durante todo o dia no domicílio em que residiam com um dos seus responsáveis, pode indicar que o próprio domicílio, na avaliação dos responsáveis, oferece as melhores condições para os cuidados”.

Contudo, foi observado também que, nas residências onde permaneciam o dia inteiro as crianças com menos de quatro anos, o rendimento médio mensal domiciliar per capita era de R$ 550. O rendimento aumentava à medida que as crianças iam para outros lugares: quando elas ficavam em outro domicílio, a renda da família chegava a R$ 813; quando eram matriculadas em creches ou escolas, passava para R$ 972.

Entre as medidas tomadas pelos responsáveis para buscar o acesso às creches, estiveram contato com as próprias instituições, bem como com prefeituras ou secretarias para informações sobre existência de vagas; inscrições em filas de espera; contatos com parentes, conhecidos ou amigos que pudessem ajudar a encontrar vaga e ações judiciais.

Plano Nacional
O Plano Nacional de Educação (PNE) de 2014 estabeleceu como meta universalizar a educação infantil para crianças de quatro a cinco anos de idade até 2016, bem como ampliar a oferta da educação infantil em creches para atender a, no mínimo, 50% das crianças brasileiras de até três anos. Para o chefe do escritório do Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef), Rui Aguiar, a tendência é que se diminua a idade obrigatória para matrícula de crianças no ensino infantil — hoje, de quatro anos. “A mensagem que se transmite é que é um direito que a criança tem ao desenvolvimento pleno”, afirmou.
Leias Mais..

Programação garante lazer às famílias no lançamento do Circuito Cultural e Esportivo de Cotia

09:06 |




Em café da manhã com jornalistas nesta quarta-feira (29), no Ginásio Municipal de Esportes, o secretário de Esportes, Cultura e Lazer, Givaldo da Costa, divulgou a programação do projeto Circuito Cultural e Esportivo de Cotia, que será lançado no Ginásio de Esportes Municipal no domingo (2), data em que a cidade comemora 161 anos.
“Vamos aproveitar o aniversário da cidade para dar início ao projeto, e não vamos parar por aí. Queremos atender a todos os bairros. A ideia é ampliá-lo para as praças municipais ao longo do ano”, afirmou o secretário Givaldo da Costa.
Durante o lançamento do projeto serão oferecidas diversas atividades, como gincanas, peças teatrais, apresentações de dança, música, ginástica, vôlei, aulão de zumba, lutas e muitas outras modalidades num único espaço e simultaneamente para toda a família.
No encontro também foram apresentadas aos jornalistas as atividades que a secretaria tem realizado na atual Administração, como as exposições de artistas locais e o projeto Contador de Histórias, presente nas escolas e bibliotecas municipais.
Durante o lançamento do projeto, no domingo, os pais poderão acompanhar com seus filhos uma extensa programação cultural e esportiva, das 10h às 15h.

Serviço: Circuito Cultural e Esportivo em comemoração ao 161º aniversário de Cotia.
Local: Ginásio Municipal de Esportes (Rua Ouro, s/nº, Jardim Nomura, ao lado do Mercado Municipal).



Leias Mais..

Estudo apontará medidas contra acidentes viários em Cotia

09:03 |




A parceria que o prefeito de Cotia, Rogério Franco, assinou com o governo do Estado, há 15 dias, para integrar o Movimento Paulista de Segurança no Trânsito começa a surtir efeitos. Representantes da Secretaria de Transportes e Trânsito (Settrans) e do órgão se reuniram esta semana para iniciar as tratativas para elaboração de estudo que apontará as intervenções necessárias para prevenir acidentes e evitar ocorrências com vítimas fatais na cidade.
De acordo com o secretário Antônio Melo, os locais do estudo serão determinados com base nos dados do Infosiga e Infomapa, criados pelo Movimento Paulista de Segurança no Trânsito que mostram onde acontece o maior número de acidentes e traz as características da ocorrência, como horário, tipo de acidente, perfil da vítima, entre outros.
            Durante a reunião, o Movimento buscou auxiliar o município a vencer as etapas burocráticas que antecedem a formalização do convênio, bem como municiar a secretaria com informações para a elaboração do estudo com as metas prioritárias.
"Vamos levar ao prefeito Rogério Franco a proposta de criação de um comitê específico para o programa [do Movimento Paulista], mas que irá se inserir ao Programa Permanente de Educação do Trânsito [proposta do Executivo que será implantada ainda este ano em Cotia]", explicou Melo.
Após a conclusão do projeto que mostrará as ações necessárias em pontos críticos do viário municipal, a prefeitura submeterá o documento à aprovação do governo do Estado. A expectativa é que sejam investidos R$ 941 mil nas iniciativas pelo prazo de um ano, podendo ser prorrogado, e com possibilidade de contrapartida municipal. A Settrans espera terminar os estudos com brevidade, tendo já iniciado os contatos para formação do comitê específico para o programa.

Sobre o Movimento Paulista de Segurança no Trânsito
O Movimento é uma iniciativa do governo estadual com o propósito de reduzir em 50% o número de vítimas fatais nos acidentes de trânsito até 2020. Para imprimir este objetivo, esforços em ações de educação no trânsito, segurança das vias e veículos e a gestão nas respostas para acidentes foram intensificadas.
Os dados das ferramentas Infosiga e Infomapa constituem importantes instrumentos que auxiliarão os municípios a elaborarem as políticas públicas relacionadas à segurança no trânsito.

-- 
Comunicação Social - Assessoria de Imprensa 
Prefeitura de Cotia
Fone: 4148-8607
Leias Mais..