Federação confirma Cotia FC no Paulistão 2013

11:46 |


O Cotia FC disputará sim o Campeonato Paulista da 2ª Divisão. Mas, muitos tomaram um grande susto nesta semana. Na última sexta-feira a Federação Paulista de Futebol anunciou a competição com 39 equipes, sem o Cotia.
Na terça-feira a FPF divulgou os grupos e a tabela, novamente sem o Cotia. A diretoria do clube foi então na entidade paulista questionar o fato e houve um desencontro nas informações no caso dos laudos técnicos apresentados pelo Cotia.
O presidente da  FPF, Marco Polo Del Nero, incluiu o Cotia na competição e a nova tabela deve sair até esta sexta-feira. Muito provavelmente o Cotia entrará no grupo 5, com o Guarulhos, Desportivo Brasil, Elosport, Primavera, Nacional e Osasco FC.
O Paulistão começa em 28 de abril e o Estádio Euclides de Almeida já está sendo preparado para os jogos. As arquibancadas foram montadas  e obras de melhorias nos vestiários e acomodações para a imprensa acontecerão em breve.
Avaliações e reforços
O técnico Toninho Ortega avaliou mais de 150 atletas na última semana. Foram quatro dias de testes e o resultado não foi muito animador para o comandante da equipe. (veja vídeo com momentos do teste)
“Está muito difícil achar jogadores nascidos em 1990. Não é só aqui, em outros clubes a dificuldade é a mesma. Aprovei apenas seis, sendo que dois tem idade de juniores, mas a diretoria está trabalhando para trazer reforços, entreguei uma lista de bons jogadores e acredito que montaremos um bom time”, disse Toninho.
O presidente Vanderley Tajiki foi ‘às compras’. Está negociando com vários jogadores e dois já estão garantidos. Eles vêm do Paraná Clube. Um deles é conhecido da torcida cotiana, o atacante Lucas Silva, que jogou em 2011 aqui e, na estreia do Cotia no Paulista, fez três gols. Lucas vem mais experiente após uma temporada no clube paranaense. Com ele chega o meia Thiago Bispo, revelação do Paraná em 2012 e que vem por empréstimo, assim como Lucas.
Quem também retorna ao Cotia é o volante Cristiano. Ele jogou em 2011 emprestado pelo São Paulo. No ano passado jogou pelo São Carlos e agora acertou sua volta ao Cotia.
Somados a eles, tem o volante Douglas Gomes (Pitbull) que está garantido e os quatro que ainda tem contrato, o volante Felipe Xavão, zagueiro Felipe Olavão e os atacantes Paraguaio e João Carlos.
Caras novas
Os jogadores aprovados na avaliação são os seguintes:
-Manu, 21 anos, zagueiro que atuava no Cassimiro de Abreu, da 2ª divisão mineira e já vestiu a camisa do Botafogo.
-Rafa Negão, volante de 21 anos que jogou no Osasco FC;
-Luis Felipe, 21 anos, jogou no Sub-20 do Cotia em 2012 como volante. Atuará na lateral direita. Já esteve no São Bernardo, Olé Brasil e Zawisza Rsgow da Polônia;
-Vitor Salmaso, 21 anos, atacante que jogou muitos anos na base do Palmeiras e ainda vestiu a camisa do Palmeiras B e Grêmio Barueri.
-Leonardo, 18 anos, atacante que jogou na base do São Paulo, São Caetano e Taboão da Serra;
-Fernando, 19 anos, meia direita que jogou no Sub-20 do Cotia em 2012. Já passou pelo Lemense.
Mais avaliação e pré-temporada
No dia 5 de março está programada outra avaliação, a última, também a reapresentação do elenco e a chegada dos reforços. No dia 7 começa a pré-temporada.
Leias Mais..

Leitor flagra esgoto e mato em calçada

11:45 |

Da Redação
O leitor Samuel Mendes enviou email reclamando de um esgoto a céu aberto e do matagal no início da Rua Guido Fecchio, esquina com a Amador Antonio Passos, no centro de Cotia:
“Estava passando pela Rua Guido Fecchio e me deparei com um esgoto saindo de uma calçada, bem no início da rua, o cheiro é forte e a calçada ainda está cheia de mato.
De quem é a responsabilidade? Já vi no cotiatododia que na mesma rua tem um esgoto a céu aberto do lado de um ponto de ônibus e que até hoje não foi arrumado. Será que esse esgoto que mando as fotos também ficará assim?”.
A Prefeitura de Cotia respondeu a solicitação de Samuel, dizendo que esteve no local verificando o problema e que no caso do esgoto, acionou a Sabesp, já que é de competência do órgão estadual o reparo.
Quanto ao mato, uma equipe da Secretaria de Obras esteve nesta manhã no local para a limpeza.

Leias Mais..

Remédios: Médico alerta sobre intoxicação

11:44 |

Da Redação


Levantamento do Centro de Assistência Toxicológica (Ceatox) do Hospital das Clínicas, registrou, no primeiro semestre de 2012, cerca de 600 casos de intoxicação por medicamentos ao mês, sendo as crianças as principais vítimas. Segundo o diretor médico e toxicologista do Centro, Anthony Wong, as crianças costumam ingerir medicamentos que ficam em fácil acesso. "Elas são atraídas, normalmente, pelas cores chamativas ou até mesmo pelo cheiro doce de alguns remédios".

A faixa etária do um aos quatro anos de idade representa a maioria dos atendimentos no total, com 25%, e dos cincos aos nove anos, 8%. Wong afirma que há também uma quantidade razoável de adultos que ingerem medicamentos em excesso, o que resulta em 11% do atendimento para pessoas de 30 aos 39 anos de idade. Cerca de 60% de todas as idades são mulheres.

O diretor alerta para um grande erro que vale para todas as idades: a ingestão de água ou leite após perceber que tomou um medicamento que não deveria.

"Ao fazer isso os pais ou responsáveis podem espalhar mais o medicamento pelo organismo ou provocar alguma outra reação no caso do leite", explica o toxicologista.


Provocar o vômito também não é aconselhável. O mais correto a se fazer é manter a calma e buscar orientação.

O atendimento no Ceatox é de primeiros socorros, feito pelo telefone. As informações são passadas conforme a descrição dos responsáveis e orientados de uma forma segura em como proceder nas situações. A equipe do Centro é formada por médicos, enfermeiros e farmacêuticos, que atende 24 horas, todos os dias da semana.

O Centro também faz parte da Organização Mundial de Saúde, sendo a única unidade não governamental há mais de 20 anos na área de farmacovigilância. O telefone do Ceatox é 0800-0148110.
Leias Mais..

G1 aponta problemas em escola de Cotia

11:43 |

Da Redação

Além de problemas na rede estadual, pais e alunos das redes municipais de cidades na Grande São Paulo apontaram, em mapa interativo do G1, o site de notícias da Globo,  a falta de professores como um problema no atual ano letivo. O transtorno foi mencionado na rede municipal em Cotia, Osasco, Santana de Parnaíba e Mauá. Por meio de suas assessorias de imprensa, cada administração municipal apresentou justificativas e soluções para o problema. Em geral, o término de contratos em 2012 teria retardado a formação do quadro de professores para este ano letivo, segundo apontaram os municípios.
Em Cotia, as reclamações são voltadas à Escola Municipal Crianças de Cotia, no Parque Miguel Mirizola (foto): “Coloquei minha filha nesta escola em 2013. Desde o início das aulas é muito comum ela ser dispensada mais cedo por causa da falta de professores. Não há professores de educação física e artes. São três dias por semana que minha filha sai antes do horário. Além disso, até o momento, não há um cronograma de aulas. As aulas são aleatórias. A cada semana ela tem matérias em horários e dias diferentes”, conta Patrícia Oliveira, 30 anos, mãe de uma menina de 10, que estuda no 6º ano do Ensino Fundamental.
A Secretaria de Educação da cidade informa que já foram convocados novos professores e a situação deve ser resolvida em até 30 dias.
Em Santana de Parnaíba, a falta de professores em escolas municipais se deve à dispensa de um grande número de docentes pela administração anterior, no fim do ano passado, de acordo com a Secretaria Municipal de Educação da cidade. O problema foi apontado ao G1 na Escola Municipal Professora Ruth de Azevedo Silva Rodrigues e no Colégio Municipal Professor Aldonio Ramos Teixeira.
“O número de professores simplesmente não corresponde à demanda de alunos. Para o 3º ano do ensino médio, não há professores de filosofia e química, por exemplo. Estou perdendo em média cinco aulas por semana. Pretendo fazer o Enem [Exame Nacional do Ensino Médio] e prestar vestibulares para a área de engenharia no fim do ano, mas com essa situação fica bem difícil se preparar”, relata Adriana Sousa Celestino, 17 anos, estudante do Colégio Municipal Professor Aldonio Ramos Teixeira.
Segundo a Secretaria de Educação de Santana de Parnaíba, já foi realizada uma prova para o ingresso de novos professores no sistema, mas a previsão é que a situação só se normalize dentro de um mês. Ainda de acordo com a Secretaria, também chegaram a faltar água e energia devido a contas vencidas, que deveriam ter sido pagas em dezembro.
Outras cidades
O problema no quadro de docentes se repete, segundo leitores do G1, em escolas de Osasco e Mauá. Em Osasco, há relatos de falta de professores na Escola Municipal de Educação Infantil Senador José Ermírio de Morais. De acordo com a Secretaria de Educação, muitos contratos de professores acabaram no fim do ano passado, mas novos docentes já foram contratados para o cargo e serão encaminhados para as salas de aula nas próximas semanas.
Em Mauá, a denúncia é de falta de professores substitutos suficientes na Escola Municipal Clarice Lispector, que fica na Vila Bocaina. A Secretaria municipal de Educação foi procurada pela reportagem do G1, que aguarda retorno.
Do G1
Foto: Google
Leias Mais..

Trânsito de Cotia mata 3 e fere 53 em janeiro

11:41 |

Beto Kodiak
O balanço mensal divulgado pela Secretaria Estadual de Segurança em relação aos acidentes no trânsito em Cotia, com referência a janeiro, mostra queda no número de feridos, mas alta nas mortes.
A comparação é entre dezembro de 2012 e janeiro de 2013. No último mês do ano passado não foi registrada nenhuma morte em acidentes, fato raro. Em compensação, no primeiro mês deste ano três pessoas perderam a vida.
Por outro lado, o número de feridos teve queda entre os dois meses. Janeiro teve 53 vítimas não fatais, contra 63 de dezembro, uma queda de 15%.
De janeiro de 2012 a 2013, 16 pessoas morreram e 846 se feriram em acidentes no trânsito da cidade.

 
Leias Mais..

Casa de Hebe Camargo no Morumbi ficou com sobrinho

11:14 |

Claudio e Marcelo. Foto: AgNews
A bela casa que Hebe Camargo (que morreu no ano passado) tinha no bairro do Morumbi, em São Paulo, ficou para seu sobrinho, o empresário Claudio Pessuti. Já o imóvel que a apresentadora tinha em Taubaté ficou para seu único filho, Marcelo. O rapaz comentou com os amigos que deixou a casa para o primo porque é muito difícil mantê-la. Como é muito grande, os gastos com a manutenção são muito altos. Ele também comentou que as pessoas acham que Hebe deixou rios de dinheiro. Nada disso, segundo o próprio. Ela deixou, sim, alguns bens. Para manter suas casas, por exemplo, seria preciso ter um bom salário, como a loira sempre teve na televisão. Não é o caso de seus famíliares, né?
Há alguns meses, o blog publicou que Marcelo pretende vender uma das casas da mãe, que só de piscina tem 400 metros, por R$ 1,5 milhão. Será que é essa de Taubaté?
Siga-me no Twitter: @janaina_nunes
Leias Mais..

Panoramas Inspiradores

07:22 |








Gallery could not load.

• Corcovado e Cristo Redentor

Corcovado é o nome da montanha onde se situa o Cristo Redentor. De braços abertos no topo da montanha, a estátua é uma das Maravilhas do Mundo. Pode-se chegar à estátua na centenária estrada de ferro do Corcovado, o passeio mais antigo do país.
Ao subir, o visitante faz um verdadeiro passeio pela história do Brasil. O trem foi inaugurado em 1884 pelo imperador D. Pedro II e foi visitado por muitas personalidades, incluindo papas, reis, príncipes, presidentes da República, artistas e cientistas. O trem cruza o Parque Nacional da Tijuca, a maior floresta urbana do mundo, portanto, o visitante também aproveita um lindo passeio ecológico. Do topo, aprecia-se uma vista do Rio de tirar o fôlego.

• Aterro do Flamengo

No caminho entre Copacabana e o Aeroporto Santos Dumont, um lindo parque verde acompanha uma via expressa de quatro faixas, margeando a Baía de Guanabara. Nome popular para o Parque do Flamengo, o complexo destaca-se por sua beleza natural misturada a elementos urbanos como o Museu de Arte Moderna, a Marina da Glória, o Monumento a Estácio de Sá entre outros.
O Aterro do Flamengo é a maior área de lazer do Rio de Janeiro e um local de forte tradição esportiva. Aos domingos, a via expressa que o ladeia é fechada para a prática de esportes, oferecendo um grande espaço de lazer a céu aberto para a população carioca. Durante os Jogos Rio 2016™, o local será palco da maratona (feminina e masculina) e das competições de marcha atlética e ciclismo de estrada.

• Bondinho do Pão de Açúcar, pista Claudio Coutinho e Praia Vermelha

Com capacidade para até 65 passageiros, o bondinho do Pão de Açúcar percorre um trajeto de 1.400 metros entre a base do morro da Babilônia até o morro da Urca. A segunda parada é no morro do Pão de Açúcar, que oferece aos passageiros uma visão de 360 graus da cidade ao redor.
Do topo, é possível ver a cidade de Niterói, ligada ao Rio pela ponte Rio-Niterói, com cerca de 14km de comprimento, cruzando a Baía da Guanabara. Uma vista fascinante das praias do Leme, Copacabana, Ipanema, Leblon e Flamengo também surpreende o visitante do Pão de Açúcar!
Ao lado da subida para o bondinho, há a Praia Vermelha e a pista Claudio Coutinho, que oferecem uma caminhada inspiradora. Circundando o morro da Urca, a pista Claudio Coutinho margeia o oceano da Praia Vermelha e é cercada de flora e fauna exuberantes. Micos são frequentemente vistos andando lado a lado aos visitantes!

• Floresta da Tijuca

Localizado no Alto da Boa Vista, a Floresta da Tijuca faz parte do Parque Nacional da Tijuca. Com 3.972 hectares de mata preservada dentro da cidade, a floresta da Tijuca engloba áreas como as Paineiras, o Parque Lage e a Pedra da Gávea.
Essa floresta tropical possui lindas árvores de todo o mundo, riachos, cachoeiras, terrenos montanhosos e picos. Há trilhas para caminhada e locais de onde pode se salta e voar de asa delta. Um local perfeito para um piquenique em família ao som de pássaros, iguanas e micos.

• Cidade do Samba

Localizada em um terreno equivalente a dez campos de futebol, a Cidade do Samba reúne quatorze barracões, uma praça central com dois grandes espaços cobertos – um para shows e outro para exposições – quatro lanchonetes e 186 vagas de estacionamento. O local foi construído para que as quatorze Escolas de Samba possam criar fantasias para o desfile de Carnaval na Sapucaí.
A Cidade do Samba abre diariamente para turistas (exceto às terças-feiras) e, através de visitas guiadas, o visitante pode ver como as fantasias são criadas e como funcionam e são feitos os carros alegóricos e os instrumentos. É impossível não se contagiar com a alegria que envolve os brasileiros no Carnaval nesse lugar que respira samba!

• Bonde de Santa Teresa e Arcos da Lapa

Criado no século XIX, o bonde carrega pessoas do centro da cidade até quase o topo de Santa Teresa. Quase imediatamente depois de sair do terminal, o bonde cruza os Arcos da Lapa, antigo aqueduto construído em meados do século XVII. Em seguida, serpenteando morro acima onde o bairro de Santa Teresa está localizado, passa por ruas estreitas, casas, mansões, lojinhas e restaurantes.
O bonde de Santa Teresa é o único sistema de bonde da região metropolitana da América do Sul. O bonde é uma forma divertida de experimentar o bairro de Santa Teresa, lar de artistas e intelectuais durante as décadas de 60 e 70. Um lugar agradável para fazer uma refeição e apreciar uma linda vista.
Leias Mais..

Rio 2016™ e COPPE formalizam contrato para produção do Estudo de Impacto dos Jogos

07:21 |

Quatro relatórios para mensurar o legado dos Jogos serão produzidos até 2019. O primeiro será divulgado já em setembro


Um dos pontos mais importantes do nosso trabalho é o que vamos deixar de legado para a cidade, disse Sidney Levy (Foto: Divulgação Rio 2016™)
O Comitê Organizador dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos Rio 2016™ e o Laboratório de Sistemas Avançados de Gestão da Produção (SAGE) da Coordenação de Programas de Pós-Graduação em Engenharia (COPPE/UFRJ) assinaram nesta sexta-feira, dia 8, o contrato para a realização do Estudo de Impacto dos Jogos Olímpicos - Estudo OGI (Olympic Games Impact, na sigla em inglês).
O estudo é um conjunto de relatórios que consolidam indicadores utilizados para medir os efeitos e os impactos ambientais, sócio-culturais e econômicos dos Jogos Olímpicos em áreas como educação, saúde, segurança, esporte, lazer e infraestrutura.
Na ocasião, estavam presentes o Diretor Geral do Comitê Organizador dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos Rio 2016™, Sidney Levy, o professor do Programa de Engenharia de Produção da COPPE/UFRJ, Rogerio Valle, e a coordenadora executiva da COPPE, a francesa Sandrine Cuvillier.
“É um prazer ter a COPPE como parceiro do Rio 2016™. Um dos pontos mais importantes do nosso trabalho é o que vamos deixar de legado para a cidade. Confiamos no estudo que será realizado”, considerou Sidney Levy, logo após a assinatura do contrato.
O professor Rogerio Valle se mostrou entusiasmado com o trabalho que terá pela frente. “Para a COPPE é um orgulho contribuir para os Jogos Olímpicos. Estou muito feliz e otimista com a qualidade da equipe que formamos, principalmente, pela disposição de todos”, opinou.
O Conselho Científico que vai atuar no detalhamento do Estudo OGI é formado por oito consultores: Regina Cohen (núcleo pró-acesso, UFRJ), em acessibilidade; João Saboia, Peter May e Valéria da Vinha (UFRJ/ME), da área econômica; Antônio Solé (UFRJ), do Instituto de Biologia; Laís Abramo (OIT-Brasil), da área social; e Antônio Carlos Francisco, da área esportiva. Um profissional especialista em esporte paralímpico, que ainda não foi definido, também fará parte do Conselho.
A COPPE vai produzir quatro relatórios, todos com a mesma metodologia. O primeiro é um trabalho de base e ficará pronto no próximo mês de agosto – será divulgado em setembro –, tendo como cenário o período entre 2007 e 2012. O relatório interino, em 2014, já terá dados específicos do evento, com todos os indicativos, atualizações e análises qualitativas.
Em 2017, o relatório irá trazer os indicadores do período dos Jogos e o relatório final, em 2019, vai apresentar a análise do período completo. “O desafio é muito grande, mas acredito na integração e na qualidade da equipe”, disse Valle.
O Laboratório de Sistemas Avançados de Gestão da Produção (SAGE) da COPPE/UFRJ foi contratado para a elaboração do Estudo OGI através de um processo seletivo, no qual outras três instituições participaram.  O Estudo OGI irá avaliar um período de 12 anos, entre 2007 e 2019. É uma ferramenta de extrema importância para que se possa mensurar o que efetivamente será o legado dos Jogos.

 

Leias Mais..

Instalação olímpica, Parque Aquático Maria Lenk abriga CT utilizado por brasileiros e estrangeiros

07:19 |

No espaço, russas do nado sincronizado e japonesas da ginástica artística fazem intercâmbio com atletas da casa

Enviar para um amigo

    • Imagem de desafio reCAPTCHA
      Obter um novo desafio Obter um desafio de áudioObter um desafio visual Ajuda

Melhores judocas do país trabalham duro no Centro de Treinamento Time Brasil (Foto: Marcio Rodrigues / FOTOCOM.NET)
Atletas brasileiros de seis esportes estão se preparando para o novo ciclo olímpico no Centro de Treinamento Time Brasil, inaugurado no fim de 2010 no Centro Aquático Maria Lenk, instalação dos Jogos Olímpicos em 2016. Além deles, o espaço recebe competidores de diversos países para intercâmbio. Neste início de ano, é a vez da seleção de nado sincronizado da Rússia e a seleção de ginástica artística do Japão.
A equipe russa de nado sincronizado visita o Brasil pela sétima vez. Formada por 12 atletas, é treinada pela técnica Tatiana Pokrovskaya, que comandou o time na conquista do tetracampeonato olímpico de Sydney 2000 a Londres 2012. Russas e brasileiras treinam juntas até o dia 12 de fevereiro no mesmo local.
Já a equipe japonesa de ginástica artística, sob o comando do técnico Takashi Kobayashi, treinou em dois períodos com os atletas brasileiros desde o dia 23. O embarque de volta a Tóquio acontece nesta sexta. O Japão já conquistou 94 medalhas em Jogos Olímpicos e aparece em terceiro lugar no quadro geral do esporte.
“Esse intercâmbio é importante, uma vez que a equipe japonesa tem excelente nível técnico”, disse o coordenador da ginástica artística brasileira masculina, Leonardo Finco. A equipe brasileira se prepara para a primeira competição de 2013, em março, em Berlim, Alemanha.
Maratonistas aquáticas, nadadores, uma velejadora (Patricia Fontes),equipes de atletismo e a seleção brasileira de judô, que conta com 43 atletas, também estão se aperfeiçoando no Centro de Treinamento. Eles ressaltam a importância da interação entre atletas de alto nível e treinadores das diversas modalidades.
“O Centro de Treinamento Time Brasil está bem estruturado. Isso é muito importante. Começando com um centro de treinamento bom, já estamos com a base pronta para subir no tatame e fazer um bom trabalho. É um espaço de alto nível, o tatame é muito bom, a sala de musculação é completa”, exaltou o medalhista olímpico em Londres 2012, Felipe Kitadai.
Apto a atender todas as modalidades olímpicas, o Centro de Treinamento dispõe de sala de musculação, uma moderna sala de força e condicionamento, uma sala de preparação física, uma sala funcional, um consultório de fisioterapia e consultórios médicos.

 

Leias Mais..

Zona Portuária: do nascimento à criação do Circuito da Herança Africana

07:19 |

“Cais do Valongo redimensiona a história da escravidão”, diz arqueóloga Tania Andrade Lima

Enviar para um amigo

    • Imagem de desafio reCAPTCHA
      Obter um novo desafio Obter um desafio de áudioObter um desafio visual Ajuda

Diversos objetos de grande valor histórico foram encontrados com as obras no porto (Foto: Divulgação/Porto Maravilha)
Uma das áreas mais degradadas do Rio de Janeiro fica, contraditoriamente, em uma das áreas historicamente mais importantes da cidade: a zona portuária. A oportunidade única que a cidade recebeu para sediar os Jogos Olímpicos e Paralímpicos em 2016 está transformando a região. Mais do que isso. Durante as escavações para as obras de revitalização, foram encontrados diversos objetos de grande valor histórico e arqueológico, que culminaram com a criação do Circuito Histórico e Arqueológico da Celebração da Herança Africana (saiba mais sobre o Rio e sua história).
Monitoradas pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), sob a coordenação da arqueóloga do Museu Nacional/UFRJ, Tania Andrade Lima, as escavações revelaram a existência de centenas de objetos pertencentes às classes dominante e escrava, a maioria de objetos da cultura africana. Mas o mais importante: foi encontrado o Cais do Valongo, o porto mais importante do Império Colonial Português.
“Nós já sabíamos da existência do Cais do Valongo. A grande surpresa foi encontrá-lo em tão bom estado de conservação. Milhares de negros de diversas etnias africanas passaram por ele. O que tínhamos antes sobre a cultura negra escrava eram peças que já traziam grande influência da cultura branca. A redescoberta do Cais trouxe artefatos genuinamente negros, que redimensionam a história da diáspora africana e da escravidão, pela sua materialidade”, afirmou Tania.
Segundo a arqueóloga, não existe nenhum outro local de desembarque dos africanos escravizados com as características do Valongo nas Américas: “Trata-se de um achado que transcende a história do Brasil, pois remete a um período doloroso na trajetória da humanidade que não pode se repetir nunca mais. O Valongo é um local de reflexão sobre o racismo e suas consequências, mas também de celebração da extraordinária diversidade étnica e cultural que os africanos trouxeram para o nosso país e que se tornou parte importante da nossa identidade como povo”.

Jardim do Valongo é parte do Circuito da Herança Africana (Foto: Divulgação/Porto Maravilha)
Objetos de rituais religiosos, imagens de exu, adornos como anéis de piaçava, colares e crucifixos, cachimbos, chifres, centenas de búzios cortados, cocos, cristais, ossos, potes, porcelanas... Tania Lima chama o cais de “patrimônio dos afrodescendentes”, um sítio arqueológico de extrema importância histórica, urbanística, econômica e cultural para a cidade do Rio de Janeiro e a história da sua sociedade.
A etapa de campo do grupo de arqueólogos aconteceu entre janeiro de 2011 e setembro de 2012, mas o trabalho segue na etapa de laboratório. Quando achadas, as peças passaram por um processo de limpeza, catalogação e análise. Depois de todo o processo de registro, as peças serão encaminhadas a um local ainda indefinido. Na proximidade do largo de São Francisco da Prainha foram encontrados ainda cinco canhões do século XVII. “Já são os mais antigos do Rio de Janeiro. Da época das invasões francesas, por volta de 1710”, explicou.
As descobertas foram tão importantes, que o Cais é forte candidato ao título de Patrimônio Histórico da Humanidade. Postos de saída dos navios negreiros na Ilha de Goreia, em frente a Dakar, capital do Senegal, e Mindelo, em Cabo Verde, são reconhecidos como Patrimônios da Humanidade pela Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco).
Sob a coordenação da Subsecretaria de Patrimônio, a prefeitura criou um roteiro que destaca o conjunto de locais marcantes para a memória da cultura afro-brasileira que inclui o Cais do Valongo, o Jardim Suspenso do Valongo, a Pedra do Sal, o Largo do Depósito, o Instituto Pretos Novos e o Centro Cultural José Bonifácio.

Mapa do Circuito Histórico e Arqueológico da Celebração da Herança Africana (Arte: Porto Maravilha)
História do Porto do Rio
Os serviços de expedição de mercadorias para o exterior e para outros estados brasileiros por via marítima eram efetuados por meio de saveiros, que atracavam em pontes de madeira denominados piers ou cais. De 1779 a 1831, desembarcaram no Brasil cerca de 500 mil africanos escravizados no Cais do Valongo, região que compreendia os bairros da Saúde e Gamboa. Em 1871, com a construção da Doca da Alfândega, surgiram os primeiros projetos para o desenvolvimento do porto do Rio, que então funcionava por meio de instalações dispersas.
Em 1903, o porto do Rio de Janeiro iniciou a primeira etapa de modernização e foi oficialmente inaugurado no dia 20 de julho de 1910. O Jornal do Brasil publicou: “Das várias obras mandadas executar, a que hoje se inaugura é uma das mais importantes e representa o desejo de uma população, só muitos anos depois transformado em realidade... Quem percorre o trecho do cais pronto, no Mangue, sente-se admirado, orgulhoso mesmo da extraordinária transformação, que ora apresenta o Porto do Rio de Janeiro”. Hoje, o porto é um dos mais movimentados do país quanto ao valor das mercadorias e à tonelagem. Os principais produtos escoados são minério de ferro, manganês, carvão, trigo, gás e petróleo.

 

Leias Mais..

Região do Porto começa a ganhar cara nova com inauguração do Museu de Arte do Rio

07:18 |

Operários trabalham no acabamento do museu, que será inaugurado dia 1º de março

Enviar para um amigo

    • Imagem de desafio reCAPTCHA
      Obter um novo desafio Obter um desafio de áudioObter um desafio visual Ajuda

Museu de Arte do Rio será inaugurado no próximo mês de março (Foto: Rio 2016™/Alex Ferro)
Enquanto as estrelas do esporte mundial terão que esperar mais três anos e meio para brilhar na primeira edição dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos da América do Sul, um batalhão de diferentes profissionais prepara a cidade para receber os ilustres visitantes com tapete vermelho e braços abertos. Um dos maiores projetos urbanos em curso no Brasil, a revitalização da zona portuária do Rio de Janeiro, que receberá as vilas de mídia e de árbitros, um centro de convenções e dois hotéis com 500 quartos cada durante os Jogos, segue o cronograma que irá transformar a área desvalorizada e esvaziada em um chamariz para novos empreendimentos.
No dia 1º de março, um dos carros-chefes da remodelação que está em curso na zona portuária será inaugurado. Trata-se do Museu de Arte do Rio (MAR), que pretende contar a história da cidade através da arte e terá um acervo permanente e mostras temporárias de longa e curta duração, de âmbito nacional e internacional. O museu vai ocupar dois prédios distintos interligados por uma passarela: o Palacete Dom João VI, do início do século passado, e outro de estilo moderno, onde vai funcionar a Escola do Olhar. Cerca de 270 trabalhadores dão os últimos retoques na construção, que deverá receber cerca de 200 mil visitantes por ano.
“Fiquei impressionado com a quantidade de obras que o porto está recebendo. A região tem tudo para se transformar em uma das mais bonitas do Rio e fazer parte de tudo isso é uma grande honra. Assim que ficar pronto vou trazer toda a minha família para visitar o museu”, disse o colocador de fórmica, Élcio Luís Maciel, de 42 anos. “A cidade vai ficar ainda mais maravilhosa do que ela já é. Nossos filhos terão ainda mais orgulho de dizer ‘sou carioca’”, concordou Everaldo Costa Mendes, de 39 anos, que também trabalha no acabamento do MAR.
A outra vedete da região será o Museu do Amanhã. As obras de reforço estrutural do píer Mauá e execução das fundações do museu começaram em dezembro de 2011 e estão na fase final. Ainda sem data definida para sua inauguração, o espaço terá como tema principal o desenvolvimento sustentável do planeta.
LEIA MAIS: Zona Portuária, do nascimento à criação do Circuito da Herança Africana

Obras do Museu do Amanhã no Píer Mauá (Foto: Rio 2016™/Alex Ferro)
Inspiração espanhola
As mudanças pelas quais passa o porto têm inspiração direta no projeto dos Jogos de Barcelona 1992. Na cidade espanhola, os antigos armazéns e estruturas portuárias foram convertidos em avenidas e prédios novos, que abrigaram os atletas. No Rio de Janeiro, a Vila Olímpica está sendo construída na Barra, mas as duas cidades têm em comum a demolição de uma enorme construção.
Se, na capital carioca, o Elevado da Perimetral ainda atrapalha a visão da Baía de Guanabara, em Barcelona, era uma linha de trem que obstruía a vista para o mar. Barcelona criou um túnel para que o trem passasse sem atrapalhar a paisagem. O Rio também faz escavações para escoar o trânsito após a demolição da Perimetral, prevista para o segundo semestre de 2013.
Em seu lugar, serão construídos dois túneis sobrepostos, em um projeto inédito na cidade. O Túnel do Binário, de 1.800 metros, terá início nas proximidades do Museu Naval e Oceanográfico, passará sob o Mosteiro de São Bento e a Praça Mauá e sairá entre os armazéns 4 e 5 do Porto. Já o Túnel da Via Expressa passará embaixo do Túnel do Binário no trecho sob o Morro de São Bento. A galeria do Túnel do Binário estará a 14 metros de profundidade, enquanto a do túnel da Via Expressa a 25 metros.
Auxiliar de movimentação de cargas da obra do Túnel do Binário, Wellington Luciano desce 40 metros de profundidade, o equivalente a um prédio de 13 andares, para realizar o seu trabalho. “Essa é a minha primeira grande obra. Uma obra enorme que está mexendo com toda a cidade. Sou um carioca feliz por assumir uma responsabilidade dessas, o que muito me orgulha”, afirma o operário de 30 anos.
As principais obras na zona portuária incluem ainda a construção de quatro quilômetros de túneis, reurbanização de 70km de vias e 650.000m² de calçadas, reconstrução de 700km de redes de infraestrutura urbana (água, esgoto, drenagem) e implantação de 17km de ciclovias. Serão plantadas 15 mil árvores (o aumento da área verde vai saltar de 2,46% para 10,96%), construídas três novas estações de tratamento de esgoto, recuperados casario, calçamento e iluminação do Morro da Conceição e restaurada a igreja São Francisco da Prainha, de 1696, uma das mais antigas do Rio.

 

Leias Mais..