Inep diz que não vai cancelar Enem 2016 e que investigações não estão concluídas

14:36 |



  • 01/12/2016 16h29
  • Brasília
Mariana Tokarnia - Repórteres da Agência Brasil
Após declaração o Ministério Público Federal no Ceará (MPF-CE) de que houve vazamento nas provas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) deste ano, o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) afirma que o exame "foi realizado com segurança para mais de 5,8 milhões de estudantes nos dias 5 e 6 de novembro de 2016". O Enem não será cancelado e a punição se restringirá aos envolvidos nos casos de tentativa de fraude, de acordo com o órgão.
Em nota, o Inep, autarquia do Ministério da Educação (MEC) responsável pela aplicação do Enem, diz que a investigação da Polícia Federal ainda está em curso e em caráter sigiloso. "Ao contrário do que informou o procurador Oscar Costa Filho, do Ministério Público do Ceará, o inquérito não foi concluído", diz.
Segundo o Inep, os casos de tentativa de fraude identificados estão sob investigação e delimitarão a responsabilidade dos envolvidos. "Não há indicio de vazamento de gabarito oficial. Como é de conhecimento público, a Polícia Federal já efetuou prisões de envolvidos na tentativa de fraude e o Inep já os excluiu do exame".
Hoje (1º), o MPF divulgou nota na qual diz que as provas do primeiro e do segundo dia do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), além da prova da redação, vazaram para pelo menos dois candidatos antes do início do teste.
Os dois candidatos foram presos, um em Minas Gerais e outro no Maranhão. Ambos receberam exatamente as mesmas fotografias com gabaritos das provas, porém, de intermediários diferentes, "deixando claro que a origem do vazamento é a mesma"
O Inep também afirma que as operações deflagradas no dia 6 de novembro são reflexo da ação conjunta com a Polícia Federal e que trabalham em parceria para garantir a segurança e a lisura do certame. A autarquia "reitera o empenho de colaborar com a Polícia Federal para apurar os fatos, garantindo que não haja prejuízo aos participantes do Enem 2016".
Por meio da assessoria de imprensa, a PF diz que não irá se manifestar sobre o caso.

Edição: Amanda Cieglinski
Leias Mais..

Presidente do STJD ameaça punir Inter: "Ninguém ficará pelo tapetão"

13:28 |


02/12/2016 15h47 - Atualizado em 02/12/2016 16h11


Ronaldo Piacente diz que não há motivo para a última rodada não ser disputada

Por Porto Alegre


As  reiteradas declarações do Inter sobre o desfecho do Brasileirão ligaram o alerta do Superior Tribuna de Justiça Desportivo (STJD). O presidente do órgão, Ronaldo Piacente, disse que o órgão está atento ao que considera uma possível "manobra" para evitar o rebaixamento e que pode punir o clube gaúcho caso não entre em campo na última rodada do Brasileirão, no dia 11. 
Na tarde da última quinta-feira, os jogadores colorados se dirigiram até a sala de imprensa do Beira-Rio e fizeram um pronunciamento. Lá, disseram estar abalados e sem condições de entrar em campo para enfrentar o Fluminense. Assim que deixaram o local, o presidente Vitorio Piffero disse que apoiava os jogadores. No entanto, questionado se aceitava o rebaixamento caso a última rodada fosse cancelada, disse que o "campeonato ficaria incompleto".   
Não há motivo algum para não entrar em campo. Caso não entre, o tribunal analisará o ato do Inter e pode ser punido (...) Ninguém subirá, ficará ou cairá pelo tapetão 
Ronaldo Piacente, presidente do STJD
– Não há motivo algum para não entrar em campo. Caso não entre, o tribunal analisará o ato do Inter e pode ser punido. Pode ser uma manobra e é isso que estamos atentos. Ninguém subirá, ficará ou cairá pelo tapetão – afirmou Piacente ao GloboEsporte.com.
A justificava dos jogadores para não jogarem na rodada final foi o acidente com o avião da Chapecoense. Alex e Ceará, lideranças do vestiário, afirmaram que o grupo colorado está abalado pela tragédia que provocou a morte de 71 pessoas, entre eles vários amigos dos jogadores, e que não gostaria de entrar em campo diante do Fluminense, mas que respeitará a decisão da CBF.  

Nesta sexta, diante da repercussão negativa do posicionamento, o Inter precisou se explicar. Em entrevista à Rádio Gaúcha, o diretor de futebol Ibsen Pinheiro negou qualquer manobra para permanecer na Série A e disse que o pedido para não jogar a última rodada partiu dos jogadores e não representava, necessariamente, o desejo da cúpula ou do clube. Uma nota oficial sobre o episódio também foi publicada no site do clube (leia abaixo).

Sobre a movimentação do Inter no STJD – na quarta-feira, o clube juntou documentos ao processo aberto pelo Bahia no início do ano sobre a suposta escalação irregular de Victor Ramos, do Vitória –, Piacente disse que, caso existam novas provas, elas serão analisadas, mas que o caso já foi analisado anteriormente e não foram encontradas irregularidades. 

– A questão do Victor Ramos estamos analisando, mas veremos as provas. A Fifa e a CBF já disseram que a transferência foi regular. Há uma situação do STJD, mas veremos esse documento novo – concluiu o presidente do STJD. 
Internacional Inter elenco manifestação Inter manifestação (Foto: Tomás Hammes/GloboEsporte.com)Elenco do Inter se manifestou contra a última rodada (Foto: Tomás Hammes/GloboEsporte.com)


Confira a nota divulgada pelo Inter

"Os atletas profissionais do Sport Club Internacional manifestaram publicamente seu profundo sentimento de dor e solidariedade diante da fatalidade que atingiu a Chapecoense, o futebol brasileiro e toda a comunidade esportiva no mundo inteiro, e o fizeram em seu próprio nome, com o protagonismo que suas relações profissionais asseguram, num Clube que historicamente os respeita como os principais agentes do futebol, juntamente com o torcedor, sem discriminação de qualquer espécie.
A direção do Internacional compreendeu e respeitou a manifestação de seus profissionais, e o fez pela palavra de seu Presidente, mas em nenhum momento expressou qualquer proposta que afetasse a competição.
O Internacional reafirma seu compromisso com a legalidade e os fundamentos morais de toda competição, o que faz com o mesmo respeito que merecem os resultados de campo, sejam os desfavoráveis, como os mais recentes, sejam as imensas conquistas da sua história. Qualquer que seja o caminho a que nos destinem os próximos resultados, o Internacional o percorrerá com a sua invariável dignidade."
Leias Mais..

Mariah Carey é clicada sem calcinha em Nova York

12:53 |

Redação Vida e Estilo
Yahoo Vida e Estilo



Cantora se descuida e mostra demais em passeio (Grosby Group)
Conhecida por estar sempre produzida e apostar em modelitos para lá de provocantes, a cantora Mariah Carey, 46, esbanjou ousadia durante um passeio ocorrido na noite desta quinta-feira (1º), em Nova York.
Ao ser flagrada saindo do carro e andando pelas ruas da cidade americana, a diva pop se descuidou e mostrou demais. Sem calcinha, a morena optou por um vestido com fenda para jantar. Sorridente, ela aparentemente não notou o clique indiscreto que foi feito pelos paparazzi que estavam no local.
Recentemente, Mariah Carey revelou para o canal “E! News” um dos segredos da boa forma dela. Segundo a artista americana, o seu cardápio é bastante restrito. “É muito difícil a minha dieta, vocês odiariam. Tudo que eu como é salmão norueguês e alcaparras todos os dias”, confessou a beldade na entrevista.
Mariah é alvo de clique indiscreto nos EUA (Grosby Group)
Leias Mais..

Inter mantém rotina de treinos

12:49 |

02/12/2016



Os jogadores do Internacional treinaram na tarde desta sexta-feira (2/12), no estádio Beira-Rio. A equipe segue se preparando para a partida marcada da última rodada do Campeonato Brasileiro, quando o Inter enfrentará o Fluminense, no dia 11, no Rio de Janeiro.
Depois do treino, o técnico Lisca concedeu entrevista coletiva. “É o momento de focar no trabalho. Os treinos estão abertos, os jogadores se dedicando muito. Estou motivado para esse último jogo, e o time vai estar pronto para dar o seu melhor. Temos que fazer a nossa parte”, afirmou o técnico.
O próximo treino será às 9h30 deste sábado, enquanto o domingo será de recuperação física.
Leias Mais..

Jogadores do Inter aceitam queda caso Brasileirão não tenha 38ª rodada

12:42 |

02/12/2016 16h30 - Atualizado em 02/12/2016 17h11



Grupo de atletas reuniu imprensa antes de treino da tarde desta sexta-feira para desfazer "mal-entendido"; Alex foi o escolhido e negou orientação da direção

Por Porto Alegre

Um dia após o grupo do Inter se reunir na sala de conferências do Estádio Beira-Rio e pedir para não jogar a última rodada do Brasileirão de 2016, o meia Alex voltou aos microfones para afastar um "mal-entendido" após o comunicado de quinta-feira. Ele refutou a polêmica de que os atletas teriam sido orientados pela direção para tomar a atitude anterior e reiterou que a decisão foi feita em comum acordo entre o elenco. Além disso, deixou claro que, caso não haja a 38ª rodada e o campeonato seja encerrado, aceitam o rebaixamento.
– Se for o caso de acabar o campeonato e a gente for rebaixado, vamos aceitar porque fizemos por merecer – resumiu o colorado.
Jogadores Inter alex declaração brasileirão (Foto: Tomás Hammes / GloboEsporte.com)Alex foi escoltado por Ceará, Rodrigo Dourado, Paulão, Danilo e Ernando (Foto: Tomás Hammes / GloboEsporte.com)
Escudado por outros cinco companheiros – Ceará, Rodrigo Dourado, Paulão, Danilo e Ernando –, Alex se dirigiu aos repórteres que acompanhavam o treino no Beira-Rio, nesta sexta-feira, antes mesmo da atividade começar. Segundo ele, o pedido feito pelos colorados não ocorreu no sentido de cancelar o jogo derradeiro da competição, e sim de que não havia clima para que as partidas fossem realizadas. Por outro lado, garantiu que acolhem a orientação que for tomada pela Confederação Brasileira de Futebol (CBF).
– Queria reiterar, até porque ficou um mal-entendido daquilo que a gente imaginava que tinha ficado claro. A gente não quer cancelar o campeonato nem melar o último jogo, tanto que falei em respeito a todos os envolvidos (na tragédia) – Chapecoense, jornalistas, famílias. Se tiver, vamos jogar. Nada se compara ao sentimento. Disseram que a gente veio porque a diretoria nos pediu, obrigou. Isso não existe. A gente pôde expor aquilo que a gente tem sentido. No momento que existiu a dúvida se o Inter se permitia ser rebaixado, a gente nunca se omitiu por esse campeonato horrível que a gente fez. A intenção era a sensibilidade do momento. Se todo mundo propusesse que não houvesse jogo, o Inter ia continuar ali (na tabela) e aceitar tudo que for decidido – prosseguiu o meia, um dos líderes do grupo.
Se for o caso de acabar o campeonato e a gente for rebaixado, vamos aceitar porque fizemos por merecer.
Alex, meia do Inter
O representante dos jogadores também reforçou a hombridade de seus pares em aceitar as condições que forem detalhadas pela entidade máxima do futebol nacional. Negou que o vestiário esteja rachado e considerou a posição da diretoria no caso da suposta inscrição irregular do zagueiro Victor Ramos, do Vitória. Conforme Alex, o clube está no seu direito de pleitear por aquilo que considera ilegal.
– A gente precisava se manifestar. Não falta homem, não falta coragem, não tem vagabundo. Os homens que aqui estão não têm nenhum desvio de caráter. Ninguém quer arrumar (uma desculpa) de alguma maneira. Jogador tem a opinião dele. Tem muitos que podem falar de maneira diferente. Ninguém é obrigado a concordar com qualquer coisa. Não tem racha. Aquilo que o clube fizer a gente respeita, porque presidir um clube não é fácil – acrescentou.
RELEMBRE O CASO
Internacional Inter elenco manifestação Inter manifestação (Foto: Tomás Hammes/GloboEsporte.com)Inter reuniu todo elenco para falar sobre decisão na quinta-feira (Foto: Tomás Hammes/GloboEsporte.com)
Terça-feira: em entrevista à Record, SBT e Pampa sobre o acidente com o avião da Chapecoense que deixou 71 mortos e seis feridos, o vice de futebol Fernando Carvalho afirmou que o Inter também passava por uma "tragédia particular". A declaração gerou reação negativa entre os próprios torcedores colorados.

Quarta-feira: depois que a polêmica aumentou, o dirigente se retratou publicamente e até em nota oficial pelo depoimento. Pediu desculpas e alegou ter se expressado erroneamente.

Quinta-feira: os jogadores do Inter fizeram um comunicado no qual pediam para não jogar a última rodada do Brasileirão por não haver "clima" devido à comoção pela perda dos companheiros de profissão. O presidente Vitorio Piffero acatou a afirmação, mas evitou falar sobre a possibilidade de rebaixamento caso o campeonato termine com a atual configuração da tabela.

Sexta-feira: em entrevista à Rádio Gaúcha, o diretor de futebol Ibsen Pinheiro negou que o pedido dos jogadores tenha sido uma orientação da direção como forma de "manobra" à possível queda à Série B. No entanto, foi de encontro à postura de Piffero, ao declarar que os jogadores "não falam pelo clube".
Leias Mais..